segunda-feira, 20 de maio de 2013

Você tem fome de quê?

Hoje assisti a um dos vídeos mais construtivos que já vi em toda a minha vida. Encontrar conteúdo contrutivo na internet não é tarefa tão fácil, depois que o Google povoou nosso mundo com 'novos' médicos, doutores, consultores, nutricionistas ter conteúdo realmente construtivo (não só informativo) é cada vez mais difícil.
A verdade é que a gente fica dando voltas em torno do próprio rabo quando a solução está bem ai no nosso nariz. Esse é o link do vídeo pra quem não viu ainda, é grandinho, mas vale cada segundo.


Eu já tinha esse post engatilhado à algum tempo, especificamente desde o dia que tive uma conversa com a sogra sobre nutrição e novos hábitos alimentares. Minha sogra é uma pessoa que como muitas outras no mundo tem vários problemas crônicos de saúde, diabetes, colesterol alto, já teve câncer. Eu não tenho a solução para os problemas dela, mas acho que tomar uma pilula pra curar X e uma para curar o efeito que a pilula que curou X causa não deve ser a melhor saída, não pode ser. Os erros que ela comete são os mesmos de muitas pessoas: achar que açucar é só o açucar cristal, achar que comer comidas 0%, diet e light é mais saudavel que a versão natural, achar que a recomendação de 2 litros de liquido por dia pode ser interpretado como 2 litros de coca zero por dia e por ai vai... Eu estive um tempo da minha vida acima do peso mas felizmente  não foi tempo suficiente para detonar a minha saúde ou me deixar com problemas irreversíveis, talvez por isso eu não entenda como a satisfação em comer um pedaço de torta pode valer o sacrificio de se sentir mal o resto do tempo porque seu corpo está usando o combustível errrado.
Mas vamos aos pontos que eu achei mais interessante no vídeo. Primeira coisa foi a proposta de ver a possibilidade de comer por um outro ângulo. Invés de 'eu quero, mais não posso', a gente precisa ir pra tática do 'eu posso, mas não quero', já disse isso aqui mil vezes. Essa foi a chave do sucesso pra mim no tipo de dieta que escolhi seguir, com base em contagem de calorias. Foi muito importante ter liberdade de escolha, isso junto com consciencia do que é uma boa alimentação e nutrição foi essencial, porque é óbvio que só contar calorias não vai te fazer emagrecer com saúde, mas sabendo usar esse trunfo vai ser um potencializador na sua dieta.
Alimentos modificados, esse foi o cerne do vídeo. Achei uma sacada genial essa de falar das diferenças em dieta ao redor do mundo. Como um esquimó que se alimenta de carne e gordura, um andino que vive de batata e milho e um índio da amazônia que come frutas podem ser saudáveis tendo dietas tão diferentes? Comida natural. Um corpo nutrido com qualidade é a explicação de porque um fisiculturista com alimentação natural e balanceada consegue seguir uma dieta low carb e ter força para treinar ou como no meu caso, mesmo fazendo uma dieta de restrição calórica não fiquei fraca, doente ou tive queda de cabelo e flacidez depois do emagrecimento. Dieta saudável comendo adoçante, margarina light, achocolatado diet e requeijão 0% ? Não, obrigada.


Desde o começo eu quis ficar longe dessas coisas e hoje faz muito sentido pra mim porque meu corpo reagiu da maneira como reagiu e reage. Eu não defendo nenhuma dieta de privação de grupos alimentares, mas flerto bem com as dietas  low carb, que propõe redução drástica dos carboidratos. Comer com qualidade e prover o seu corpo de outros nutrientes tão ou mais necessários que os carboidratos pode ser a diferença entre conseguir manter suas atividades diárias mesmo se alimentando basicamente de proteinas, gorduras e poucas calorias e ficar sentindo fraqueza, caindo por qualquer gripe ou diminuir o rendimento dos treinos, poque além de carboidratos o corpo também está privado de nutrientes importantes como gordura e sendo bombardeado por produtos estranhos e modificados em sua natureza. Claro que isso depende do corpo, da intesnidade do treino, um maratonista não vai fazer uma dieta do tipo, por exemplo, não dá pra genaralizar. Mas é algo a se considerar, nutrição vai muito além dos grupos de macronutrientes ou da recomendação diária de calorias por pessoa, já que somos pessoas diferentes com organismos diferentes. E eu nem tenho recalque de achar que toda pessoas magra que não come como eu é doente, tem 40% de gordura na corpo e vai ter um ataque cardíaco depois de amanhã, nada disso. Mas pelo sim, pelo não, comer natural nunca vai fazer mal à alguém. É simples. Parei hoje com a única coisa modificada que eu ainda comia: iogurte 0% de gordura.  Leite é pra ter gordura, então coma a gordura do leite, ela não estaria ali se não fosse necessária e como eu não tenho nenhuma restrição vou comer, em menor quantidade provavelmente, mas vou comer.
É um jogo de burlar os nossos instintos, comer coisas com menos calorias pra poder comer mais, essa é a única razão pra transformar alimentos naturais em verdadeiros venenos e a gente cai, porque a proposta é boa. Trocar um pedaço de bolo de fubá por uma fruta é uma coisa, trocar uma colher de manteiga de leite por margarina é outra. Aprender a ter uma alimentação com baixo índice glicêmico é uma coisa, trocar todos os alimentos da casa por diet e light é outra.
Reeducação alimentar vai muito além de criar uma rotina de alimentação, é preciso internalizar isso, de verdade. É obvio que disciplina é importante principalmente no começo. Eu já tive tremedeira, suadeira, já passei noite sem dormir pensando em comida, mas se depois de um certo tempo nessa vida você ainda chora por vontade de comer doce, você está fazendo isso errado. É aquela sacada de entender o que esta acontecendo com seu corpo e querer cuidar dele mais e melhor, se isso se internaliza a tendência dessas vontades é, se não desaparecer, pelo menos diminuir muito. Ou você acha que uma fofa como a Petê Camargo que abdicou de doces completamente há anos tá tendo pesadelo com brigadeiro até hoje? Claro que não. A dificuldade sempre vai existir, vício é vício, mas a paz precisa vir também, não pode ser esse trabalho de Hércules a vida toda. Se for alguma coisa não está certa e talvez fosse a hora de procurar uma terapia ou simplesmente rever essa questão do que,, como e porque se ingere. Pela minha experiência, quanto menos açucar e sal eu como, menos quero comer. Hoje em dia não há chocolate ao leite no mundo que supere o prazer de comer um 85% cacau de qualidade, até nutella eu tenho desgostado exceto na TPM. Mas tenho certeza que não seria assim se eu tivesse me enfiado no mundo colorido e calorie free dos adoçantes, refrigerantes zero e tridents de canela. Reeduque-se por completo, não vale trocar um mal hábito pelo outro.Vale a pena pagar um pouquinho mais por alimentos biológicos, não por alimentos modificados. Tenho a sorte de ter a sogra que apesar de (infelizmente) se alimentar super mal gosta de criar galinha e mexer na terra. Resultado: pelo menos 1 dúzia de ovos caipiras e verduras fresquinhas e sem agrotóxicos vindo pra nossa casa toda semana! Fora isso, fazer seu próprio pãozinho ou massa de pizza é tão mais gostoso, cozinhar é divertido, te faz ter uma relação melhor com a comida. E o que dizer daquela couve manteiga do quintal da avó? Não é tão difícil assim.
E por último mas não menos importante, uma frase que ficou martelando na minha cabeça desde o começo do vídeo: 'a minha felicidade era ver outras pessoas felizes na TV'. Eu vejo todo dia pessoas que falam sobre dieta, assistem vídeos, participam de todos os grupos de dieta do facebook, conhecem todos os métodos possíveis e imagináveis mas não saem do círculo 'dieta da sopa de segunda a quarta'. Fiquei muito tempo nesse limbo, inerte, pensando que ler sobre dieta com a bunda no sofá me faria emagrecer. O dia em que eu decidi fazer dieta 'só eu comigo mesma' funcionou. Saí dos grupos de discussão, não contei pra ninguém que estava de dieta, até o namorado tava proibido de tocar nesse assunto! Aí a coisa fluiu... Foi um momento que eu tive pra mim, pra conversar comigo mesma, pra vizualizar como eu preferia ser e fortalecer os meus alicerces de verdade inves de ficar lendo histórias de 'super heróis' na internet que muitas vezes nem verdadeiras são.
Então tire esse tempo pra você, alimentação saudável não precisa ser a base de produtos estranhos, caros e difíceis de encontrar, muito menos a base de produtos diet, 0% ou o que quer que a empresa alimentícia escolha como a bola da vez. Dê ao seu corpo tempo e oportunidade de se acostumar e você não vai ter uma relação saudável com doces se entupindo de adoçante.  Não vou dizer que não tenho meus momentos de off tipo os milhoes de pratos e vinhos que eu consumi no FRD2013 (post sobre isso depois!) ou ontem que morri de comer bolo de aniversário e docinho de coco (quem nunca?), mas hoje fiquei muito feliz de comer salada de novo. Como sempre acontece depois dessa orgias alimentares, dormi mal, fiquei com o corpo pesado, 'ressaca de comida'. É claro que eu odeio pensar que comer essas porcarias está estragando os gominhos liiiindios que eu tô ganhando na barriga, mas mais que isso, é uma sensação de alívio voltar à minha rotina, sensação de que voltei pro lugar de onde nunca deveria ter saído. É o meu corpo reconhecendo o que é melhor e agradecendo por isso, do jeitinho que falam no vídeo. Coma o suficiente pra alimentar seu corpo, alinhe a sua fome com a necessidade de nutrição do seu corpo, siga a dieta que funciona pra você, quando a gente alcança esse equilíbrio é que a mágica acontece.

4 comentários:

  1. Eu também tenho ressaca da comida. E de vez em quando como alguma coisa que está fora da dieta. Prefiro comer uma colher de doce de leite argentino do que inventar um doce "diet", se for para comer um doce eventual. Isso pode atrasar minha perda de peso, mas ela é para sempre, essa é a rotina que eu quero seguir e é assim que estou seguindo há 2 meses. Cada vez me preocupo mais com o que vou comer. Também acho bizarra essa mania de tudo light, margarina no lugar de manteiga... Eu não tenho problema de colesterol, como manteiga raríssimas vezes, então para quê vou fazer essa troca ruim?
    Infelizmente no Brasil ainda falta muita conscientização e os preços das coisas orgânicas e naturais não colabora. Mas vou melhorando aqui e ali. O importante é não ficar parado. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu fico super mal depois de passar o dia assim comendo a rodo, ju, desacostumei mesmo. mas é mto melhor degustar a comida que comer pela quantidade, mais um motivo pra se afastar dos light, diet, 0%. e nao me venham falar que é a mesma coisa pq claro que nao é. tb prefiro comer as vezes e comer com moderação, nao precisa ser radical. uma pessoa que nao come açucar mas se entope de adoçante nao é mais saudavel que a que come doce enventualmente.

      Excluir
  2. ötimo post Natália!!!
    tenho que me inspirar nisso...
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Caramba que post perfeito!
    Não sigo dieta nenhuma, mas sigo um estilo alimentar diferente de muitas pessoas e graças a dios o marido ama legumes,verduras,frutas...
    Em relação ao açucar eu depois que tive dengue fiquei sensivel ( acho que essa é a palavra) ao açúcar, então não posso comer nada, nadinha de açúcar e vc sabe que aqui é dificil.
    mas a males que vem para o bem, né?

    Food could be used not only to satisfy hunger, but also to heal or damage the mind and the body.

    ResponderExcluir

Pin It button on image hover