quinta-feira, 22 de março de 2012

Um ano depois...

Hoje faz exatamente um ano que sai de casa definitivamente. Foi numa noite fresca e com muita dor de dente que eu deixei Divinopolis para ir a São Paulo para passar um dia solitario na rodoviaria e depois embrarcar para a Bélgica. Cheguei aqui no dia 24 de março do ano passado, num dia tão bonito e ensolarado (apesar de que nao estava quente!) quanto hoje.
Muita coisa acontece em um ano. Aprendi muito, me diverti, chorei, tomei decisões importantes. A vida de casado não é facil, mas também é muito prazerosa. Se eu pensar em todas as brigas que tivemos até hoje, quantos foram antes da gente morar juntos? Nenhuma. Não tem problema, briga significa intimidade. Eu não brigo com quem eu nao me importo ou não gosto, eu ignoro (na maioria das vezes!). Brigas saudaveis sao sempre bem vindas num relacionamento, porque muito se aprende com elas.
 Roda gigante! Weeee!!

Um ano atras eu nao imaginava que minha vida estaria do jeito que esta. Não imaginava a raiva que eu ia passar por causa do visto, não sabia como seria assumir as responsabilidades de uma familia e muito menos viver definitivamente longe da minha familia. So far, so good. Consegui aceitar uma serie de coisas que antes eu nao aceitava, emagreci quase tudo o que eu tinha ganhado quando eu era au pair, e que nao foi pouco!! Mas isso sera assunto para uma serie de posts sobre dieta que provavelmente vou começar no mes que vem, aguardem! ;) O holandês vai bem, obrigada. Ok, reprovei na prova para conseguir o certificado europeu B2. Paciência, não se pode ganhar todas... Estou muito feliz com a minha evoluçao, anyway. As vezes eu lembro como era nos primeiros meses que eu morava aqui e jurava que essa lingua nunca entraria na minha cabeça. Hoje recebo muitos elogios pela minha dedicaçao e o opa (que é a fofura em pessoa) até fala que eu nao tenho sotaque! hahaha... 'Menas'! Agora é folego para as proximas conquistas! Tentar a prova mais uma vez, arrumar um emprego, comprar nossa casa, planejar o aumento da familia para daqui uns anos. Tudo a seu tempo...
Pascal continua me dando muita certeza de que eu fiz a escolha certa (sem contar minha mãe que diz que nao aceita outro genro! hahaha). Achei muito interessante o desenrolar da nossa relaçao nesse periodo de provaçao na minha vida que foi entrar de cabeça nao so na dieta, mas num novo estilo de vida. Um homem que te ama do mesmo jeitinho gorda ou magra é um sujeito especial, não é? Eu sei que pode não parecer mais que a obrigaçao de um namorado, mas na realidade, nao é assim que a banda toca  na maioria dos casos. Eu fiquei muito amarga nos ultimos dias antes da dieta, porque eu estava realmente infeliz. É muito bom ter alguém do seu lado pra te lembra que voce nao é so um pedaço de gordura carne. E quando eu comecei a dieta, foi ainda pior! Crise de abstinência, mais chatice, reclamação. Não foram poucas as vezes que ele me lembrou que eu nao precisava fazer nada daquilo a menos que eu quisesse muito, que pra ele estava tudo ok. Da mesma forma, ele me respeitou todas as vezes que eu expliquei que era sim importante, que era dificil, mas que nao ia ser dificil pra sempre e que ele nao ajudava tentando me consolar com uma taça de sorvete com cobertura de chocolate. Quando eu dormia no sofá ele sempre me carregava pra cama no colo, mesmo eu tendo quase o mesmo peso que ele (vergonha mode on). Graças a Deus, esses problemas se acabaram e ele nem faz careta mais! hahaha
Mas porque essa melaçao toda? Porque esse é o amor de verdade que não é mostrado nas comédias romanticas. Amor não é dar buquê de rosas vermelhas (apesar de serem sempre bem vindos!), nem escrever cartinhas no dia do aniversário do mês de namoro ou fazer tatuagem com as iniciais da pessoa amada no pulso. Amar é dar puxão de orelha quando for necessario, é fazer elogios que podem não ser diários, mas sao sempre sinceros. É chorar e rir juntos, é saber falar não, é ser parceiro. E isso eu aprendi nesse um ano. Feliz por descobrir que amor é isso, do contrario eu ainda estaria tentando me encaixar no padrão ciderela que nunca me serviu.
Encerrando o post menininha do dia, uma crônica linda da Fernanda Mello, conterranea talentosa, linda e com nosso sotaque delicioso que é a cereja em cima do bolo! Sabe quando uma pessoa sintetiza tudo o que você quer falar? Amar é punk.

http://www.youtube.com/watch?v=iPSiLpFhFGM

9 comentários:

  1. Poxa Xará.. me emocionei lendo esse seu texto, viu... De verdade. Parabéns por todas as conquistas, e que venham sempre mais e mais!

    Que linda sua definição de amor.. Será que um dia eu encontro um amor desses pra mim? rs É triste mas cada vez mais eu perco as esperanças...tá tão difícil :\

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. encontra sim, xara! ai é que ta.. o sentimento verdadeiro mtas vezes passa despercebido pq a gente fica na eterna busca pelas borboletas no estomago, joelhos bambos. isso td é lindo nos livros, mas na vida real, a historia é outra. fica atenta, pq de tao suave ele pode passar sem vc perceber. os melhores perfumes estao nos menores francos! :D

      Excluir
    2. Ah.. brigada pela dica :)... rs Vamos ver o que o futuro me reserva, pq até agora... ai ai só palhaçada! rs

      Excluir
  2. Nati que texto bacana! Olha eu encontrei uma pessoa tão diferente de mim que não teve como não se apaixonar. Principalmente quando eu vejo ele lavando banheiro e ainda dando aquele sorrisinho lindo eu digo: obrigado meu Deus! ahahahhah Mulheres apaixonadas.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Puxa Nati, que lindo!!! Muito emocionada com você e muito feliz em saber que sempre temos para onde crescer, sempre achei você especial e é engraçado como acreditamos que pessoas especiais já são especiais não precisam de mais nada!!! As vezes temos decisões importantes para tomar na vida e que por medo ou por descrença nos recuamos, mas essas mesmas pessoas especiais das quais você faz parte sempre encontram uma forma de se superar. Primeira vez que venho aqui hoje, mas me convide outras vezes conselhos, carinhos e bons exemplos não fazem mau a ninguém....beijos Vanessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada queridinha! vc tb é mto especial! :D
      venha sempre que quiser, as portas estao sempre abertas! beijos

      Excluir
  4. Lindo texto, Nati. Da pra sentir o amor transbordando em cada frase. Fico felicissima por voce, uma prova viva de que nem tudo esta perdido. Parabens por todas as conquistas, voce as merece! Beijos

    Grazi

    ResponderExcluir
  5. Oi Natália!

    Eu cheguei há bem pouco por aqui, na Irlanda. Acho que nos primeiros dias é normal bater aquela melancolia e ainda me sinto totalmente conectada com o Brasil. E, pra piorar, eu ainda tive Dengue quando cheguei, logo no 4º dia... Rs

    De qualquer forma, acho inspirador ver uma estória com saldo positivo para as que estão chegando agora como eu!

    Parabéns pela DETERMINAÇÃO - acho que é a palavra-chave para expatriados!

    P.S: O que você fez nos seus 1º mês? Esperou as coisas clarearem pra depois ir à luta ou já chegou causando?

    ResponderExcluir
  6. Oi daiene, td bem? nao tinha visto vc por aqui ainda, seja bem vinda! :D
    olha, antes de eu me mudar pra belgica definitivamente eu ja tinha sido au pair aqui por um ano e meio. no começo é dificil sim, mas o negocio é arregaçar as mangas ja no começo. eu nao falava holandes na epoca e cuidava de 4 crianças pequenas, o jeito foi aprender mto rapido pelo menos o basicao! tb ja comecei logo a viajar e era sempre sozinha, dai ja deu pra dar um up no ingles, aprender os sistemas de pegar trem, aviao, etc... as coisas sao sempre mais dificeis no começo, mas nao desista que td melhora! beijao e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir

Pin It button on image hover