domingo, 12 de junho de 2011

A arte de ser atrapalhada

Esse post é para você que se acha atrapalhada. Isso é porque você não me conhece ou convive pouco comigo. Eu sou a pessoa mais atrapalhada do mundo. Sabe aquela pessoa que tudo o que tiver a pequena possibilidade de dar errado, da errado pra ela? Essa sou eu. De verdade. Hoje por exemplo, eu fui colocar gasolina no carro pela primeira vez. Normalmente todo o cuidado dos nossos carros fica por conta do Pascal, mas ele estava fora no fim de semana e eu tive que me virar. A preguiça que também me acompanha há 26 anos me impediu de pedir pra ele ou pra qualquer outra pessoa me ensinar o simples procedimento nesses quase dois anos morando na Gringolandia. Tá. Fui atras de uma moça pra ver como funcionava com a maquininha do cartão. Parte facil. Botei o cartao la, digitei os numeros, voltei pra minha bomba. Tinha estacionado o carro longe demais, mas fui puxando a mangueira mesmo assim. Apertei o gatilho junto! Caiu gasolina no carro, na minha bota, everywhere! Dai foi destrancar o negocinho... Sujei a mão, quebrei a unha... Deve ter um jeito mais facil de abastecer essa porra, né pussívi! Saudade dos flanelinhas no Brasil, viu... colocam a gasolina, olham a agua, oleo, jogam uma agua no parabrisa e dependendo ainda se ganha uma cantada pra massagear o ego! Dai saio dirigindo... Com o GPS, errei o caminho 4 vezes e acabei dirigindo 15km a mais do que deveria. Não, eu também não sei como... Ontem decidi dar uma redecorada na casa. Fui na Ikea, comprei um tapete novo pra sala, umas almofadas, uns castiçais e um cactus pra colocar na mesa. Fui arrastar a mesa e rasguei o papel de parede. Não se preocupem! Coloquei a mesa bem juntinho do rasgo, assim o Pascal nao vai ver! Bati o tapete na lampada da escada, espetei a mão nos espinhos do cactus (tive que tirar até com pinça!!).
Essas são as mais recentes... Quantas pessoas vocês conhecem que ja cairam de uma bicicleta a 20m por hora e quebraram o pé em dois lugares, precisando de uma cirurgia pra reparar o estrago? E o chapéu de formatura? Que eu fui arrumar o pomponzinho, rasquei o negocio, deixei pingar super bonder e ainda tive que ir na maior cara de pau do mundo pedir o carinha do cerimonial um novo?
Mas eu acho que os que convivem comigo sofrem mais do que eu. Se eu ligo fora do horario pra mamis ou pro Pascal a pergunta é a mesma: 'O quê que aconteceu? ' Pra conviver com tanto estabanamento, algumas regras foram necessarias. A mãe não me deixa passar roupa. Pascal não me deixa andar de bicicleta, nem dirigir o carro amarelo, nem tirar pó da televisão, computador ou das miniaturas de carro dele, nunca mexer na eletricidade e quando eu for fazer bolo, pedir a ele pra ralar as cenouras. Eu falo que é tudo besteira, mas se eu descumpro uma das regras ele fica bravo. Daí eu aceito, também porque gosto do dengo, mas necessidade não tem. Ja aprendi a conviver comigo mesma. Erro, estrago, me atrapalho, me machuco, mas entre mortos e feridos, sempre salvam-se todos. Não fosse assim, eu estaria perdida em cada viagem, cada aventura ou loucura que eu ja decidi fazer nessa vida. E, graças a Deus, não foram poucas, mas todas muito bem resolvidas.
Mas eu vivo bem, faço questão de deixar isso bem claro!  Junto com meu jeito atrapalhado, também ganhei uma paciencia de Jó. Sem estresse, muita calma pra resolver as confusoes que eu ja sei que virão. Imprevisto pra mim não é mais surpresa. O que se pode fazer... Cada um sabe a dor e a delicia de ser o que é...

3 comentários:

  1. Nati me vi nesse post! Eu sempre achei que meus pais eram zelosos demais pela quantidade que quebrei ossos na infancia, cabeça ou que me ralei toda, então lá em casa é um tal de não deixar eu fazer isso ou aqui na limpeza, se eu sento no parapeito da sacada vem meu pai correndo pra mandar descer, ainda recebo avisos pra prestar atencao ao atravessar a rua porque eu ando no mundo da lua (rimou rs). Aqui em casa, Iwan sempre toma as coisas da minha mãe, tipo faca, coisas pesadas porque da ultima vez, eu literalmente varei o dedo do pé derrubando a faca fazendo sushi... Fora as coisas que já quebrei em casa, coloquei fogo... enfim, pessoas desastradas são mais amorosas segundo o Iwan, isso é sinal de que não somos frios (seja lá o que ele pensou quando disse isso).

    beijao

    ResponderExcluir
  2. Acho que devemos dizer que alguem aqui omitiu algumas historias.

    Laila

    ResponderExcluir
  3. Nati, eu ri muito das situações q vc contou.
    Podemos dar as mãos e sairmos juntas..hehe..sou tão atrapalhada qnt vc.
    Qnd quiser, visite meu blog!
    Beijos e bom FDS =)

    ResponderExcluir

Pin It button on image hover